sexta-feira, 14 de maio de 2010

cometi aquela asneira

Sinto necessidade de expressar os meus sentidos (exteriorizá-los verbalmente) despido de condicionantes racionais, não me recordo de o ter feito anteriormente , mas se o fiz, este é o presságio do seu não fracasso.
Estou perdido,, acho que é bom estar perdido, mas, sinto que estou perdido há já demasiado tempo e não sei de que forma possa ser como convém.., perdido, sem norte, com muitos nortes à volta, e à volta para cima, e para baixo, e pra dentro e para... e para dentro, e por dentro.
estarei eu perdido? oh claro que estou, tenho de estar! O mundo está perdido, está sem norte, e eu estou no mundo, por isso estou sem norte. mas.. tenho mais um bocadinho de menos perdidão que ele, talvez o possa ajudar, afinal sei um bocadinho mais que o mundo todo
- e porque não puxá-lo para onde quero, para onde eu não conheço e usando-o como escudo e ficar mais enganadamente poderoso?
- e porque não atirá-lo para onde eu conheço? e que sei que é mau, ou pelo menos parece-me mau por fora.... e por dentro. também sei que me tornaria mau e dessa forma deixava de contrastar com a maldade que atravesso todos os dias a caminho de fora de mim, passaria a sentir-me bem, mas não seria bom, mas não seria nem bem nem bom, nem mudaria nada e apenas perpetuava tudo. E para manter as coisas más no planeta prefiro eu prefiro deitar a minha vida fora e ficar comigo e comer e cantar, e dormir e sonhar e amar comigo, tudo comigo e com quem mais se quiser juntar a ser eu e quem mais me quiser fazer seu adaptando-se primeiramente a mim, e quem mais quiser fazer parte dos que não fazem parte do mundo dos outros.
Depois posso ser mau para eles todos e não sentir prazer com isso, o mesmo prazer que o mal tem em manter-se mal. Assim sendo, sería melhor e podia ser ainda mais mau que mau e que o mal, e que o mal mau e que o mal-feito, sentindo-me mais mal com isso, o que seria melhor que sentir o bem que o mal sente, e aí, deixaria de ser bom, mas sentir-me-ía bom tornando-me mau dessa forma

3 comentários:

  1. este teu post parece o tratado de lisboa, a gente le e nao entende

    ResponderEliminar